Menu

Sikhismo e os dez gurus

Sikhismo e os dez gurus
  • A palavra Sikhismo deriva do termo em sânscrito "sisya", que significa discípulo. O Sikhismo é uma religião fundada por Baba Nanak, que tinha por objetivo criar uma religião que fosse a fusão entre o islamismo  e o hinduísmo. O livro sagrado dos seguidores do Sikhismo, chamados sikhs, é o Adi Granth. Uma das ideias pregadas pelo Sikhismo indica que existe um karma, uma influência, na vida atual, de ações cometidas nas vidas anteriores. Além disso, os sikhs são defensores da tolerância e da igualdade e acreditam que somente através de nossos próprios esforços somos capazes de nos libertar. Desta forma, o Sikhismo indica que os seres humanos estão separados de Deus por serem egocêntricos. Na religião sikh, haumai é a palavra que denomina o egocentrismo humano e samsara significa o ciclo de renascimentos em que os seres humanos ficam presos por serem individualistas. A libertação é a união com Deus, que se revela aos homens por sua graça, que é denominada Nadar. De acordo com os ensinamentos do Guru Nanak, somente a recordação devotada do nome “nam simaram” e a repetição do nome “nam japam” em murmúrios permitem a libertação do haumai e a união com Deus. Os três pilares do Sikhismo enfatizam o cumprimento de deveres fundamentais para a religião:

    (1) Ter Deus presente na mente em todos os momentos (Nam Japam).

    (2) Sustentar-se pela prática do trabalho honesto (Kirt Karni).

    (3) Compartilhar o que se consegue no trabalho com os necessitados  (Vand Chhakna).

    No Sikhismo existem diversos rituais. Um deles é o de nascimento, no qual o recém-nascido é levado a um gurdwara, local onde se abre o Guru Granth Sahib em uma página aleatória. Então o nome da criança é escolhido de acordo com a primeira letra da primeira palavra da página aberta do lado esquerdo. Já no ritual de casamento, denominado Anand Karai, os noivos dão quatro voltas contornando o Guru Granth Sahib enquanto entoam hinos religiosos. Outro ritual é o funerário, onde há cremação após diversos hinos serem recitados. Geralmente as cinzas são jogadas em rios como o Ganges. O número de praticantes do Sikhismo chega a 23 milhões. Deste número, estima-se que 19 milhões vivam na Índia, a maior parte no estado do Panjabi. Apesar da totalidade estar em território indiano, há comunidades sikhs no Reino Unido, Canadá e Estados Unidos. Além disso, existem pequenos grupos em Singapura e na Malásia.

     

  • HISTÓRIA

O fundador do sikhismo, o Guru Nanak, nasceu em 1469 na aldeia de Talwandi, localidade que é hoje conhecida como Nankana Sahib e que está situada a cerca de 65 quilómetros da cidade paquistanesa deLahore. Pertencia a uma família hindu da casta comerciante dos Khatri. Uma série de relatos lendários sobre o seu nascimento, osJanamsakhi, escritos cerca de cinquenta anos depois da sua morte, apresentam Nanak como um jovem que gostava da oração e de ler os textos dos sábios do seu tempo. Após quatro grandes viagens (chamadasUdasis) em direcções opostas, que terão incluído oTibete, Ceilão, Bengala, Meca e Bagdade, o Guru Nanak pregou a hindus e muçulmanos, captando assim um grupo numeroso de discípulos (sikhs). Segundo os seus ensinamentos, a religião deveria ser um meio de união entre os seres humanos, mas, na prática, esta parecia como que confrontar as pessoas. Neste sentido, lamentava de forma especial os enfrentamentos entre hindus e muçulmanos, assim como as práticas de carácter ritual que apartavam o ser humano da busca do divino. A sua intenção era chegar a uma realidade mais além das diferenças superficiais entre as duas religiões, e daí a sua famosa máxima "Não há hindus, não há muçulmanos" (Puratan Janam-sakhi).

O Guru Nanak instituiu o sistema dolangar ("cozinha" ou "refeitório comunitário") que se perpetuou até aos nossos dias. O objectivo desta instituição foi fomentar a fraternidade e a igualdade entre os seres humanos. Nolangarprepara-se okarah prasad, uma refeição sagrada feita à base de farinha, açúcar e manteiga batida. Todos os participantes numa cerimónia religiosa de um templo sikh recebem este alimento, sem distinção de casta, nível económico ou crenças religiosas. Após a morte do Guru Nanak sucederam-se nove gurus. Cada um deles contribuiu para a consolidação da religião e da identidade sikh.

Nanak nomeou como seu sucessor não o seu filho, mas um dos seus discípulos mais próximos, Lehna, a quem ele chamou de Angad ("um outro eu"). O Guru Angad (1504/1539-1552) dotou a língua panjabi da escritagurmukhi. O Guru Amar Das (1479/1552-1574) aboliu entre os sikhs a prática hindu dasati (o sacrifício das viúvas), bem como o uso do véu (purdah) pelas mulheres. Criou também vinte e dois distritos de pregação. O Guru Ram Das (1534/1574-1581) comprou um terreno onde mandou escavar um tanque, o Amritsar ("tanque da Ambrosia"), na origem do nome da actual cidade do Punjabe. O Guru Arjun (1563/1581-1606) ordenou em 1589 a construção, no meio do tanque de Amritsar, do primeiro templo sikh, oHarmandir("Templo de Hari"), hoje conhecido como o Templo de Ouro. Ele também compilou o livro sagrado da religião, oGuru Granth Sahib, e mandou instalá-lo no templo. Os mogóis, senhores do Punjabe nesta época, reagem com hostilidade ao crescimento da comunidade sikh, tendo o Guru Arjun sido detido e morto pelo imperador mogol Jehangir. O Guru Hargobind (1595/1606-1645), perante a perseguição movida aos sikhs, militarizou a religião. Ele acrescentou uma segunda espada à que os cinco gurus já tinham usado. O uso das duas espadas pelo guru representou a concentração na sua pessoa de dois tipos de autoridade, a espiritual (piri) e a temporal (miri). Desenvolveu-se desta forma a ideia da guerra como acto de auto-defesa da comunidade sikh e como garante da ordem e da justiça.

Os dois gurus que o sucederam, o Guru Har Rai (1630/1644-1661) e o Guru Har Khrishan (1656/1661-1664) tiveram uma liderança apolítica. O primeiro tinha um carácter contemplativo e interessou-se pouco pelo aspecto temporal da religião, enquanto que o segundo foi Guru por apenas três anos. O Guru Tegh Behadur (1622/1664-1676) recusou converter-se ao islão, tendo sido por esta razão executado pelo imperador mogol Aurangzeb. O décimo Guru sikh, Gobind Singh (1666/1676-1708), fundou a ordem militar dosKhalsae criou um rito de iniciação chamadoamrit, também conhecido comokhande de pahul.Amritdesigna a água açucarada, mexida com o sabre de dois gumes, que o iniciado e os outros participantes na cerimónia devem beber.

O século XVIII ficou marcado pela ascensão política do sikhs no Punjabe. Em 1801 Ranjit Singhfundou o reino de Lahore que durou até 1849, ano em que foi anexado pelos britânicos. Em 1873 a comunidade sikh agrupou-se naSingh Sabha("Assembleia dos Leões"), um órgão criado como forma de garantir os interesses da comunidade sikh no Punjabe de finais do século XIX, marcado pelo revivalismo religioso islâmico e hindu, bem como pela acção dos missionários cristãos. Em 1920 os sikhs criaram um partido político, oAkali Dal("Partidários do Intemporal") como o propósito de assegurarem os seus interesses. Este partido opôs-se à partilha do Punjabe entre a Índia e o Paquistão, fato que se consumou em 1947. A maior parte dos sikhs que viviam no território atualmente paquistanês migraram para a Índia quando da separação como forma de evitar a perseguição religiosa.

 

Conheça o livro que tem abalado o mundo religioso! Clique Aqui!

Participe de nossa enquete. Sua opinião é muito importante para nós! Clique Aqui e de seu voto.

Última modificação emSexta, 20 Fevereiro 2015 14:54

Mídia

voltar ao topo