Menu

O Machismo Bíblico

O Machismo Bíblico

Um fator que me deixa espantado nas páginas da bíblia é o extremo machismo ali descrito. As mulheres são rebaixadas de tal forma que fica difícil entender o grande número delas nas religiões que seguem a bíblia. O machismo bíblico já começa logo no primeiro livro da bíblia, Gênesis. Ali a mulher é descrita como sendo criada de uma costela de Adão. Isto mesmo, a mulher e retratada como um pedaço do homem, um mero complemento, uma serviçal ajudadora (Gênesis 2:18-24). Como se isso não bastasse à mulher é apontada como a culpada pelo pecado original (Gênesis 3:1-5). Pior ainda, o escritor bíblico de 1ª Timóteo 2:14 disse que a mulher foitotalmente enganada, uma forma educada de chamá-la de tola. Além disso, esta declaração coloca em Eva uma motivação egoísta em comer do fruto proibido, porque segundo o relato, a serpente disse que se ela comesse, seria igual a Deus, sabendo o que é bom e o que é mau. Ela acreditou nisso e por ambição desejou ser igual a Deus. Já Adão é colocado como vitima na história, foi seduzido pela mulher, sabia que se comesse do fruto não seria igual a Deus, pois não foi enganado pela serpente, mas por amor a sua querida mulher, medo de perdê-la, seguiu Eva nesta rebelião contra Deus.

     É digno de nota que nenhuma mulher é considerada escritora da bíblia, função atribuída somente aos homens. A esposa de Abraão, o patriarca bíblico, é exaltada por chamar seu marido de senhor, colocando-o como seu dono, seu proprietário. Ela chega a ponto de oferecer sua serva para coabitar com seu marido. Este tipo de comportamento é constantemente mostrado na bíblia como exemplo de mulher devota a Deus (1ª Pedro 3:5, 6).

     A poligamia era comum, por exemplo, Jacó teve quatro mulheres, Davi teve oito, e Salomão pasmem, teve setecentas mulheres. A irmã de Moisés, Miriã, juntou-se a seu irmão Arão, num questionamento contra Moisés. Sabe qual foi à reação do Deus da bíblia? Atacou Miriã de lepra, já Arão não teve nada, ela ficou como sendo a rebelde. Veja que o Deus criado pelos escritores da bíblia refletia o machismo dos homens da época (Números 12:1-15).

     A bíblia está cheia de relatos em que mulheres são tratadas como meros objetos, tendo menos valor do que um animal. A forma com que os homens lidam com as mulheres em diversos relatos bíblicos demonstra bem como eles as encaravam. Não só homens considerados ruins pela bíblia agiam de forma machista, homens considerados fiéis a Deus e exemplos para nós também agiam assim. Veja algumas situações registradas na bíblia para comprovar isso.

   Certo homem levita, que servia no templo de Deus, portanto um servo fiel e dedicado, voltando para casa com sua concubina, uma espécie de amante oficial, passa a noite na casa de um homem idoso, que tinha uma filha, na cidade de Gibeá. Homens dessa cidade cercam a casa, exigindo ter relações sexuais com o levita visitante. Sabe o que o dono da casa fez? Observe o que o relato bíblico de Juízes 19: 23,24 diz: “Em vista disso, o dono da casa saiu a ter com eles e disse-lhes: Não, meus irmãos, por favor, não cometais nenhum mal, visto que este homem entrou na minha casa. Não cometais esta ignominiosa insensatez. Eis a minha filha virgem e a concubina dele. Por favor, deixai-me trazê-las para fora, e violentai-as e fazei com elas o que for bom aos vossos olhos. Mas não deveis fazer a este homem tal coisa ignominiosa, insensata”.

     Dá para acreditar? Como você descreveria um pai assim? Para que os taradões de Gibeá não pegassem o levita, o dono da casa oferece sua própria filha e a amante do levita. Será que o levita ficou indignado com o dono da casa por ele ter oferecido sua amante aos taradões? Veja qual foi sua reação:“Portanto, o homem agarrou a sua concubina e levou-a para fora a eles; e eles começaram a ter relações com ela e continuaram a abusar dela a noite inteira, até à manhã...” (Juízes 19:25). O levita covardemente entrega sua amante para que os homens de Gibeá abusem dela a noite inteira. Sabe qual foi o resultado? Depois que o levita tirou o dele da reta entregando sua concubina nas mãos deles, estes abusaram dela a noite toda, até que ela morreu. Pela manhã, ela é encontrada morta na soleira da porta. Sabe como o levita demonstrou seu pesar? O levita leva o cadáver para casa, recorta-o em 12 pedaços e envia estes a todo o território de Israel (Juízes 19:29). Como você definiria este relato bíblico?

     Imagine-se num tribunal observando um julgamento. O réu é um estuprador grotesco que violentou uma moça virgem. O réu confessa que realmente a estuprou diante de todos no tribunal. Não mostra o mínimo arrependimento nem pesar pelo crime que cometeu. A moça não para de chorar, está assustada, traumatizada. O juiz chama o pai da moça e o estuprador e executa a lei. Determina que o estuprador pague ao pai da moça cinqüenta moedas de prata e se case com a moça que ele violentou, não podendo jamais se divorciar dela. O pai da moça pega as cinqüenta moedas de prata e entrega sua filha ao estuprador. A moça em estado de choque sai com seu novo marido sem jamais poder se separar dele. Como você descreveria este julgamento? Acha que foi feito justiça? Se fosse sua filha você ficaria satisfeito com a decisão tomada? Pois é exatamente isso que a “lei de Deus” diz que deve ser feito. Pelo menos a lei que está registrada na bíblia no livro de Deuteronômio:

     “Se um homem se encontrar com uma moça sem compromisso de casamento e a violentar, e eles forem descobertos, ele pagará ao pai da moça cinqüenta peças de prata. Terá que se casar com a moça, pois a violentou. Jamais poderá divorciar-se dela” (Deuteronômio 22: 28,29).

     Considere agora outra situação. Uma jovem noiva voltando da escola a noite é abordada por um homem com uma arma na mão. Seu olhar é frio e seu semblante horripilante. Ela a principio pensa que é um assalto e vai logo lhe entregando seu dinheiro mas o homem com uma voz ameaçadora a manda tirar a roupa e se deitar senão ele a matará. A rua está deserta e não a casas por perto, ela pensa em gritar mais naquele local ninguém vai escutar, além disso, o homem está armado e a ameaçou de morte se ela gritar e não fizer o que ele manda. Ela entra em estado de choque e não consegue esboçar nenhuma reação, sua voz não sai e seus músculos estão petrificados. O homem então resolve ele mesmo arrancar a roupa da moça e jogá-la no chão. A moça aterrorizada não consegue reagir. Com a arma apontada para a cabeça da moça ele a estupra de forma impiedosa. Logo depois ele desaparece na escuridão da noite. Sabe como um caso deste seria julgado segundo a suposta lei que Deus deu registrada na bíblia? Observe:

     “Caso haja uma virgem, noiva dum homem, e um homem realmente a achou na cidade e se deitou com ela, então tendes de levar ambos para fora ao portão daquela cidade e tendes de matá-los a pedradas, e eles têm de morrer, a moça, por não ter gritado na cidade, e o homem, por ter humilhado a esposa de seu próximo. Assim tens de eliminar o mal do teu meio” (Deuteronômio 22: 23,24).

     Agora se tal moça tivesse a “sorte” de ser estuprada na zona rural, segundo a “lei de Deus” seu fim seria diferente:

    “Se, porém, foi no campo que o homem achou a moça que era noiva, e o homem a agarrou e se deitou com ela, então só o homem que se deitou com ela tem de morrer e não deves fazer nada à moça. A moça não tem pecado que mereça a morte, pois, assim como um homem se levanta contra seu próximo e deveras o assassina, sim, uma alma, assim é neste caso. Porque foi no campo que a achou. A moça que era noiva gritou, mas não houve quem a socorresse” (Deuteronômio 22: 25-27).  

     O escritor do livro bíblico de Eclesiastes descobriu o seguinte sobre as mulheres:

     Eu descobri que a mulher é coisa mais amarga que a morte, porque ela é um laço, e seu coração é uma rede, e suas mãos, cadeias. Aquele que é agradável a Deus lhe escapa, mas o pecador será preso por ela” (Eclesiastes 7:26). Não me surpreende que os escritores do Novo Testamento tenham descrito o homem como “o cabeça” da mulher (1ª Coríntios 11:3), a mulher como sendo fraca (1ª Pedro 3:7) e tola (1ª Timóteo 2:14). Portanto deve ficar calada (1ª Timóteo 2:11, 12) e quando orar que faça isso com uma constrangedora cobertura na cabeça (1ª Coríntios 11:4 -6).  

     Devido a relatos maldosos como estes, as mulheres sofreram por milênios maus tratos as mãos dos homens, sendo renegadas a simples serviçais e procriadoras. Visto que a bíblia é um reflexo da sociedade antiga e medieval, fortemente machista, encontramos em suas páginas todo tipo de preconceito e menosprezo as mulheres. Apesar dos avanços que as mulheres tiveram nos últimos tempos, ainda observamos na sociedade traços e resquícios do machismo encontrado na bíblia. É uma pena que muitas mulheres ainda se submetem a este tipo de tratamento.

 

Este texto foi extraído do livro "A BÍBLIA SOB ESCRUTÍNIO", para adquiri-lo CLIQUE AQUI!

 

Participe de nossa enquete. Sua opinião é muito importante para nós! Clique Aqui e de seu voto.

Última modificação emQuarta, 21 Outubro 2015 12:01

Mídia

voltar ao topo