Menu

Aristóteles e Platão são mais famosos que Jesus, diz pesquisa

Dois filósofos gregos são mais famosos na história do pensamento ocidental do que Jesus, que aparece em terceiro lugar no ranking dos nomes mais citados. Em primeiro lugar está Aristóteles (384 a.C.- 322 a.C.) e em segundo Platão (428/427 a.C.- 348/347 a.C.). A informação é do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), que traçou o “mapa da produção cultural do planeta”. Trata-se do Projeto Pantheon, que comparou dados da produção cultural de 4.000 a.C. a 2010. Para o instituto, como critério desse estudo, famoso é a personalidade que aparece no Wikipédia em mais de 25 idiomas. Discípulo de Platão, Aristóteles escreveu sobre física, lógica, retórica, poesia e ética, entre outros temas. Platão se dedicou às ciências, educação e matemática. Os dois são considerados como fundadores da filosofia ocidental. No ranking dos 100 mais famosos há outros filósofos, como Sócrates (4º lugar), Confúcio (7º), Pitágoras (10º), Sófocles (41º), Kant (46º) e Epicuro. Maomé, que deu origem ao islamismo, está em 13º lugar. Moisés em 12º. Hitler aparece em 14º. Os compositores mais bem colocados no ranking são Mozart (15º) e Bach (24º). A Virgem Maria ocupa a 60º posto e Darwin o 70º.


Os 50 mais famosos de todos os tempos
 
nome
Ocupação
Nascimento
Ano
1
Aristóteles
filósofo
Grécia
-334
2
Platão
filósofo
Grécia
-427
3
Jesus Cristo
figura religiosa
Palestina
+4
4
Sócrates
filósofo
Grécia
-459
5
Alexandre, o Grande
militar
Grécia
-356
6
Leonardo Da Vinci
inventor
Itália
1452
7
Confúcio
filósofo
China
-551
8
Júlio César
político
Itália
+100
9
Hommer
escritor
Grécia
-800
10
Pitágora
filósofo
Grécia
-570
11
Arquimedes
filósofo
Itália
-287
12
Moisés
figura religiosa
Egito
-1391
13
Maomé
figura religiosa
Arábia Saudita
570
14
Adolfo Hitler
político
Áustria
1889
15
Amadeus Mozart
compositor
Áustria
1756
16
Carlos Magno
político
Bélgica
742
17
William Shalespeare
escritor
Reino Unido
1564
18
Michelangelo
pintor
Itália
1475
19
Augustus
político
Itália
-63
20
Napoleão Bonaparte
político
França
1769
21
Isaac Newton
físico
Reino Unido
1642
22
Albert Einstein
físico
Alemanha
1879
23
Cristovão Colombo
navegador
Itália
1451
24
Johann Sebastian Bach
compositor
Alemanha
1685
25
Dante
escritor
Itália
1265
26
Ludwig van Beethoven
compositor
Alemanha
1770
27
Buda
filósofo
Nepal
-563
28
Cleópatra VII di Egito
política
Egito
-69
29
Martim Lutero
Figura religiosa
Alemanha
1483
30
Galileu Galilei
astrônomo
Itália
1564
31
Heródoto
historiador
Turquia
-484
32
Paulo de Tarso
figura religiosa
Turquia
5
33
Augustine de Hippo
filósofo
Argélia
354
34
Euclides
matemático
Egito
-325
35
Virgílio
escritor
Itália
-70
36
Nero
político
Itália
37
37
Thales
filósofo
Turquia
-635
38
Karl Marx
economista
Alemanha
1818
39
Marco Polo
explorador
Itália
1254
40
Cícero
político
Itália
-106
41
Sófocles
escritor
Grécia
-496
42
Vicent van Gogh
pintor
Holanda
1853
43
Genghis Khan
militar
Mongólia
1162
44
Zoroastro
escritor
Afeganistão
-600
45
Hannibal
político
Tunísia
-249
46
Immanuel Kant
filósofo
Alemanha
1724
47
Hipócrates
médico
Grécia
-460
48
Freud
Psicólogo
República Checa
1856
49
Picasso
pintor
Espanha
1881
50
Nefertiti
companheira
Egito
-1370

 

Fonte: Paulopes

Conheça o livro que tem abalado o mundo religioso! Clique Aqui!

Participe de nossa enquete. Sua opinião é muito importante para nós! Clique Aqui e de seu voto

Leia mais ...

Bíblia com mais de 1500 anos é descoberta na Turquia e causa preocupação ao Vaticano

O Vaticano está preocupado desde que uma Bíblia, de 1500 anos foi descoberta na Turquia. A preocupação é porque o tal livro contém o evangelho de Barnabé, que teria sido um dos discípulos de Cristo que viajava com o apóstolo Paulo, e descreve Jesus de maneira parecida com a que é pregada pelo islamismo. Desde a descoberta, ainda no ano 2000, o livro teria sido mantido em segredo absoluto na cidade de Antara por líderes católicos. Peritos avaliaram o livro e garantiram que o artefato é original. A Bíblia, é toda feita em couro e escrita em um dialeto do aramaico, língua que era falada por Jesus. Por causa da ação do tempo, o livro já apresenta as páginas escurecidas.

Uma das polêmicas trazidas pela tal Bíblia e confirmada pelas autoridades religiosas de Teerã, é o texto que aprova que Jesus Cristo nunca foi crucificado, além de também não ser filho de Deus, e sim, um profeta. Em outro trecho, o apóstolo Paulo é considerado "enganador", e ainda diz que o apóstolo Judas Iscariotes (o traidor) teria sido crucificado no lugar de Cristo, tendo então Jesus, ascendido ao céu vivo, enterrando a história de que Ele havia ressuscitado. Em outro registro, o livro fala sobre o anúncio feito por Jesus da vinda do profeta Maomé, que fundaria o Islamismo 700 anos depois de Cristo. O texto prevê ainda a vinda do último Messias islâmico, que ainda não aconteceu.

Preocupados com a descoberta sagrada, o Vaticano pediu às autoridades turcas que permitissem aos especialistas da Igreja Católica avaliar o livro e seu conteúdo. Tudo indica que durante o Concilio da Nicéia, a  igreja Católica tenha feito a seleção dos Evangelhos que comporiam a Bíblia atual, censurando alguns, dentre eles, possivelmente o Evangelho de Barnabé. Há quem afirme que muitos outros evangelhos, conhecidos como Evangelhos do Mar Morto, sempre existiram, mas nunca foram revelados.

Fonte: Jornal  O Tempo

Conheça o livro que tem abalado o mundo religioso! Clique Aqui!

Participe de nossa enquete. Sua opinião é muito importante para nós! Clique Aquie de seu voto.

Leia mais ...

Não há nenhum indício da existência de Jesus, diz livro

Além de a Bíblia não servir como prova da existência de Jesus há mais de 2.000 anos, não há nenhum indício histórico de que esse personagem tenha sido real, de que tenha sido um judeu radical da Palestina do século 1º. Esse é o eixo do recém-lançado livro There was no Jesus, there is no God (“Não existe Jesus, Deus não Existe”), de Raphael Lataster (na foto ao lado), estudioso secular de religião da Universidade de Sydney, na Austrália. A rigor, nas afirmações do título do livro não há nada de novo do ponto de vista ateísta, mas o diferencial do livro é a maneira contundente e embasada como derruba a "verdade" cristã. Lataster disse em uma entrevista que escreveu o livro para rebater o que ele chama de “novos teólogos”, como William L. Craig, oferecendo, ao mesmo tempo, argumentos filosóficos aos céticos para fundamentar a sua descrença em divindades.

O livro, em sua primeira parte, desconstrói as fontes utilizadas pelo cristianismo que se referem à existência de Jesus. Lataster considerou como espúrios os métodos empregados por estudiosos bíblicos. Afirmou, por exemplo, que, para um leitor atento e crítico, a abordagem de são Paulo retrata um messias apenas mítico, embora ela seja usada por religiosos como “prova” do Jesus histórico. Hélio Schwartsman, da Folha de S.Paulo, elogiou o livro pelo seu tom persuasivo em mostrar que não há a menor probabilidade de o Jesus ter existido. Isto porque, escreveu o jornalista, nenhuma fonte contemporânea da época de Jesus corroborou a sua existência. “Autores que teriam tido motivos para citar Jesus, como Filo de Alexandria, não o mencionam”, escreveu. “E os Evangelhos são todos obras anônimas, com objetivos apologéticos e o mais antigo deles, o de Marcos, só foi escrito quatro décadas após a suposta crucificação.” Na segunda parte do livro, Lataster defendeu que, diante de tanta inconsistência cristã, que se ao menos se use o bom senso do Teorema de Bayes. Trata-se de um método estatístico que relaciona incertezas e quantidades (de qualquer coisa) invisíveis, determinando probabilidades. Pelo método, observou Schwartsman, a possibilidade de ter havido Jesus é a mesma de ter existido Zeus, Odin ou Shiva.

Fonte: Debunking Christianity

Conheça o livro que tem abalado o mundo religioso! Clique Aqui!

Participe de nossa enquete. Sua opinião é muito importante para nós! Clique Aqui e de seu voto.

Leia mais ...

Homem encontra peito de frango com imagem de 'Jesus'

Ernesto Hernandez estava prestes a levar para a boca o pedaço de peito de frango empanado quando notou que havia algo "especial" nele"Eu estava para dar uma mordida quando ele olhou para mim", disse Ernesto ao "Huffington Post". "Ele" se refere a "Jesus". Ernesto disse ter encontrado uma imagem de "Jesus" no frango que estava perto de devorar durante jantar em sua casa em Pocono Summit (Pensilvânia, EUA). "Todos que o veem dizem que é Jesus sem eu dizer nada a eles. Eu não quero dizer que se parece com Jesus, mas é a personificação do que as pessoas pensam que ele seja. Minha irmã, que é mais cínica, disse que se parece com Charles Manson", comentou. pedaço de frango está sendo mantido no congelador, mas, com o passar do tempo, disse Ernesto, está se parecendo cada vez menos com "Jesus".

Fonte: O Globo

Participe de nossa enquete. Sua opinião é muito importante para nós! Clique Aqui e de seu voto.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS